DEFENDENDO O SERVIDOR PÚBLICO
Redes Sociais:

Notícias CNSP

CNSP é barrada em audiência pública a respeito do Orçamento de 2023

Publicado em: 00:00:00

A Confederação Nacional dos Servidores Públicos (CNSP), representada pelo seu presidente Antonio Tuccilio, foi barrada da audiência pública sobre o Orçamento do Estado de São Paulo para 2023, organizada pela Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), na última quinta-feira (02.06). Na ocasião, o presidente da CNSP e Gaspar Bissolotti, presidente da Associação dos Servidores Aposentados e Pensionistas da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ASPAL), foram impedidos de contribuir com suas colocações, mesmo após receberem autorização de manifestação. 

“Entramos na sala virtual com 20 minutos de antecedência, conforme orientado, e o funcionário da Alesp informou que eu teria três minutos para expor minhas colocações. Logo em seguida, fui informado pelo mesmo funcionário que eu não estava autorizado a falar, com a justificativa de que muitas pessoas estavam inscritas. Isso não é democracia; é um absurdo”, informa Antonio Tuccilio. 

Além disso, Tuccilio relata que suas propostas no chat da conferência foram bloqueadas, impedindo que fizesse suas reivindicações. “Meu objetivo era ressaltar a importância do Estado contribuir com o Hospital do Servidor Público da mesma maneira que nós, os servidores públicos, contribuímos. O Estado como empregador tem dever de contribuir, uma vez que o local e o atendimento estão em péssimas condições. Não é só nas eleições que se deve dar pri oridade a Saúde, Educação e Segurança, isso precisa ser refletido no orçamento. Os deputados precisam pensar no povo, e isso não está acontecendo”, destaca o dirigente.

A necessidade da aprovação do PDL 22, que visa o fim da contribuição indevida para aposentados, teto salarial em São Paulo e reajuste salarial para o Governador também estavam na pauta da entidade. “Lamentável. Tivemos nosso direito cerceado. Isso não é democracia. ”, finaliza o dirigente.